Aulas em escola municipal seguem suspensas após corte do fornecimento d'água

Por Rafael Maynart | Portal Gazetaweb.com     13/09/2017 16h28 - Atualizada às 13/09/2017 17h24

Semed emitiu nota afirmando que conta já foi paga, acrescentando esperar que situação seja regularizada o mais rapidamente possível

Diretora de escola relatou falta d'água em entrevista à TV Gazeta

FOTO: Reprodução/TV Gazeta

Cerca de 300 estudantes da rede municipal de ensino seguem sem aulas devido ao corte no fornecimento de água para a Escola Professora Silvia Celina, no Conjunto Village Campestre II, parte alta da capital, após a Secretaria Municipal de Educação (Semed) atrasar o pagamento. Esta é a segunda vez que o fornecimento é suspenso na unidade de ensino.

De acordo com a diretora da escola, Sandra Patrícia, alunos e professores já haviam vivenciado o mesmo problema em junho passado. Desta vez, os educadores garantem que só irão retomar as aulas quando a situação for regularizada. 

Ela alega também que a estrutura do prédio - que é alugado - é precária e que a rede elétrica já foi condenada pelo engenheiro da empresa que presta serviço para a Semed.

"Desde o ano passado que relatamos problemas aqui na escola, mas nenhuma providência é tomada. Em junho, cortaram a nossa água e, agora, cortaram novamente. Infelizmente, tivemos de suspender as aulas porque não há condição alguma de manter os estudantes neste espaço sem água. Além disso, nossa rede elétrica foi condenada. Inclusive, o engenheiro que presta serviço à Semed disse que nossa escola é uma verdadeira bomba relógio", desabafou.

A assessoria da Semed, por sua vez, emitiu uma nota explicando que a conta já foi paga paga, de modo que restaria apenas aguardar que a Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) retome o abastecimento. Sobre a estrutura, a secretaria informou que deve iniciar os serviços de reparo nos próximos meses.

Confira a nota na íntegra:

A Semed informa que o pagamento já foi realizado e aguarda restabelecimento do fornecimento de água por parte da associação para tão logo a direção da escola possa retomar as aulas. Quanto à parte estrutural, a Semed ressalta que já foi feita a planilha de orçamento e nos próximos meses deve iniciar os serviços, já que o órgão obedece um cronograma de manutenção das escolas da rede.