Suspeitos de ligação com homicídios são presos em Maceió e região metropolitana

Por Eduardo Almeida | Portal Gazetaweb.com     14/11/2017 06h26 - Atualizada às 14/11/2017 17h49

Ação, que reuniu mais de 100 policiais civis e militares, é fruto de dois meses de investigação; 16 foram detidos

Policiais buscam suspeitos de homicídios e tentativas de homicídio

FOTO: Assessoria

Uma investigação da Polícia Civil levou ao cumprimento de mandados de prisão e de busca e apreensão, nesta terça-feira (14), em Maceió e em municípios da região metropolitana. Os 16 presos são acusados de participação em homicídios ou tentativas de homicídio.

Além da capital, a operação aconteceu nas cidades de Rio Largo, Barra de Santo Antônio, Barra de São Miguel e Pilar. A ação foi resultado de mais de dois meses de investigação e contou com a participação de mais de 100 policiais civis e militares. 

De acordo com a delegada Ana Luiza Nogueira, os detidos têm participação em assassinatos, latrocínios e tentativas de homicídio.

Foram presos Olival João da Silva, 59 anos; Ana Paula de Oliveira santos, 31; Lucas Mateus de Alencar vital, 20; José Fernando de Oliveira da Silva, conhecido como "Pato", 27; Cícero Simão de Lima, 49; Roberto da Silva, o "Nego", 33; Delson Pimentel da Silva, 34; Danielle Andréa da Silva Lopes, 19; Clebson Miguel Silva dos anjos, 37; Paulo Ricardo da Silva, 24; Clebson Melo de Farias, 34; Luiz Fernando da Silva Mendonça, 20; Fábio Jusã da Silva, 20; Stefano Melzani, 45; Henrique da Paz santos, 21; e Wesllayne Priscila do Nascimento Batista, conhecida como "Maga", 18 anos.

Aproximadamente 100 policiais participam de operação

FOTO: Assessoria
"A operação teve como principal propósito reduzir os índices de criminalidade, sobretudo o número de assassinatos e tentativas de homicídio que acontecem na região metropolitana de Maceió. Para tal, foi feito um levantamento junto aos delegados de distritais e de delegacias da região para identificação dos suspeitos, seguida da solicitação das prisões", explicou.

Os suspeitos foram levados para ao Complexo de Delegacias Especializadas (Code), no bairro de Mangabeiras, onde foram ouvidos e, em seguida, encaminhados para o sistema prisional.