Gravidez na adolescência: riscos para mãe e filho

Por Ministério do Povo | 18.02.2019 - 11h00    
O QUE ERA PARA SER O MOMENTO DE REALIZAÇÃO NA VIDA DE UMA MULHER, A MATERNIDADE, PODE TORNAR-SE CAUSA DE GRANDES TRANSTORNOS, SE FOR ANTECIPADA PARA ADOLESCÊNCIA. OS NÚMEROS DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA (SBP) APONTAM QUE O NÚMERO DE CASOS NO PAÍS CHEGAM A 23% DO TOTAL DE PARTOS.

PARA DISSEMINAR INFORMAÇÕES SOBRE MEDIDAS PREVENTIVAS E EDUCATIVAS QUE CONTRIBUAM PARA A REDUÇÃO DA INCIDÊNCIA DA GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA E INCENTIVAR A DISCUSSÃO SOBRE O NOVO ARTIGO DO ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (ECA), ATENDENDO AINDA A LEI FEDERAL Nº 13.798, QUE INSTITUI A SEMANA NACIONAL DE PREVENÇÃO DA GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA, A SOCIEDADE E SUAS SECCIONAIS ELEGERAM TODO O MÊS FEVEREIRO PARA TRATAR DO ASSUNTO.

SEGUNDO A ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (OMS), A GESTAÇÃO NESTA FAIXA ETÁRIA É UMA CONDIÇÃO QUE ELEVA A PREVALÊNCIA DE COMPLICAÇÕES MATERNAS, FETAIS E NEONATAIS, ALÉM DE AGRAVAR PROBLEMAS SOCIOECONÔMICOS EXISTENTES.

“ESTAS COMPLICAÇÕES E GRAVIDADE DA GESTAÇÃO CORRELACIONAM-SE À IDADE DA ADOLESCENTE, COM RISCOS MAIORES PARA ADOLESCENTES MENORES DE 16 ANOS, PRINCIPALMENTE MENORES DE 14 ANOS, O QUE ENVOLVE, ALÉM DE GRAVES PROBLEMAS DE SAÚDE, OS ASPECTOS JURÍDICOS E SOCIAIS, E PORTANTO MERECE ATENÇÃO E AMPLO DEBATE”, DESTACA O PEDIATRA.
LEI - O PRESIDENTE JAIR BOLSONARO ACABA DE SANCIONAR A LEI Nº 13.798 QUE INSTITUI A SEMANA NACIONAL DE PREVENÇÃO DA GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA. PROPOSTA PELA EX-SENADORA MARISA SERRANO, A INICIATIVA TEM COMO OBJETIVO DISSEMINAR INFORMAÇÕES DE TEOR EDUCATIVO E MÉTODOS PREVENTIVOS, CONTRIBUINDO ASSIM PARA A REDUÇÃO DA GRAVIDEZ PRECOCE NO BRASIL. A MEDIDA PASSA A VIGORAR NO ART. 8º-A DO ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (ECA) E SERÁ CELEBRADA ANUALMENTE NA SEMANA QUE INCLUIR O DIA 1º DE FEVEREIRO.
COMENTÁRIOS